O lugar é tão comum
Mas se feito só pra nós
É bem melhor que o resto

  SILVA, Lucas Maia 

11 24 PM
2 notes
Meus olhos falam. As pupilas que contraem e dilatam, fitam os teus olhos pretos. O negrume fosco dos teus sentimentos corrosivos dilacera toda e qualquer hipótese de resgate ou reconciliação entre nós. Meu olhos falam e minha boca continua quieta, cabe a você decifrar meu olhar. Olho de uma forma bastante intrínseca e profunda, mordo as paixões ocultas e desbasto o teu ego. Teus olhos pretos, quase imóveis, anunciam a dor da partida. Não se vá, fique. Não sei viver sem a sua escuridão para combinar com o meu clarão. A réstia de certezas que eu tinha, o vento levou. Meus olhos falam e descodificam os teus lábios milimetricamente à espera do teu beijo ungido e melífero. Teus olhos traem o teu corpo, percebo a incapacidade de você se conter diante de um passado tão presente. Teus olhos pretos combinam com os meus castanhos. A tua escuridão é imprescindível para minha alma, não poderíamos viver apenas no claro porque é no escuro que eu me encontro e é no meu clarão que você se perde.

— Túlio Santos | Eclipse. 

(Source: escandalos-p-o-e-t-i-c-o-s)

11 20 PM
78 notes
Os bêbados das três horas da manhã, em todos os Estados Unidos, fitavam as paredes, depois de terem finalmente desistido. Não era preciso ser bêbado para se machucar, para cair sob a mira de uma mulher; mas a gente podia se machucar e se tornar um bêbado. Você podia pensar por algum tempo, sobretudo quando era jovem, que estava com sorte, e às vezes estava mesmo. Mas havia todo tipo de médias e leis em ação das quais você nada sabia, mesmo quando imaginava que tudo ia indo bem. Uma noite, uma quente noite veranil de quinta-feira, você se tornava o bêbado, você estava lá fora sozinho num quarto de aluguel barato, e por mais que tivesse visto isso antes, não adiantava, era até pior, porque você tinha pensado que não teria que enfrentar aquilo de novo. A única coisa que podia fazer era acender mais um cigarro, servir outra bebida, examinar as paredes descascadas em busca de olhos e lábios. O que homens e mulheres se faziam uns aos outros estava além da compreensão.

Charles Bukowski. 

(Source: insignificais)

11 14 PM
559 notes
Naquela noite me bateu uma enorme vontade de viver, de sair pelas ruas acompanhado da solidão e das estrelas, enquanto caminhava em direção ao nada, ao abismo, mas aí percebi que a noite estava fria, e o céu sem estrelas, então voltei para cama, me cobri até a cabeça e comecei a pensar na vida e no futuro, o futuro me persegue mais que o passado, pra ser sincero tenho medo dele, medo do me espera lá na frente, medo da solidão interna e externa, medo de que esse vazio que hoje há dentro de mim jamais se preencha. Em noites como essa meu anseio pela vida cresce e meu desejo de receber todos os afetos do mundo também, quero fazer tudo isso valer a pena, dar orgulho a essa alma bastarda que fez de mim seu lar, quero olhar para o espelho daqui cinquenta anos e se orgulhar do passado, mas quando ligo a tv, leio os jornais ou simplesmente saio pela minha porta me deparo com o mundo, e aí me bate aquela vontade de correr para debaixo da coberta e ali ficar, acompanhado de meus torturantes pensamentos.

Felipe Bueno.  

(Source: incorpora)

11 11 PM
99 notes
O que você tem de burro eu tenho de inocente. Você é burro porque desperdiçou o amor que eu tinha pra dar, e eu, inocente por acreditar que você seria capaz de retribuir. Ou seja: Dois idiotas. Um com anseio de amar, outro com medo de se doar.

Dois versos.   

(Source: versocitei)

11 10 PM
473 notes
Concluí que os atores eram diferentes de nós. Tinham seus próprios motivos. Vocês sabem, quando se passa muitas horas, muitos anos fingindo ser uma pessoa que não se é, bem, isso pode nos causar alguma coisa. Já é duro bastante tentar ser a gente mesmo. Pensem em tentar muito ser alguém que não se é. E depois ser outra pessoa que tampouco se é. E depois outra. A princípio, vocês sabem, pode ser emocionante. Mas depois de algum tempo, depois de a gente ser doze outras pessoas, talvez seja difícil lembrar quem é mesmo, especialmente se a gente teve de compor as próprias falas.

Charles Bukowski. 

(Source: cerejeiro)

11 09 PM
75 notes
E se eu morrer? Imagina como seria, você me mandar sms sabendo que jamais seriam respondidos, me ligar sempre sabendo que ia cair na caixa postal, iria me procurar nas redes sociais, sabendo que nunca mais estaria online, iria levantar pra ir atrás de mim com lágrimas nos olhos sabendo que jamais vou estar ali, imagine o mundo sem mim, e me diga, faria alguma diferença pra você?

Pedro Jobim. 

(Source: tornou-insano)

11 08 PM
35,183 notes
Só quem me conhece a fundo sabe. É que sou o tipo de gente que todo mundo pensa que conhece. Mas se enganam feio. Pouquíssima gente me desvenda. Mostro só o que quero. Não por maldade, mas por proteção.

Clarissa Corrêa   

(Source: 10reais)

11 07 PM
30,270 notes
Choro escondido, fujo de explicações; até porque…quem gosta de ter pláteia para a própria dor?

Clara Brandão. 

(Source: teleportear)

11 03 PM
7,970 notes
Ela sabia que precisava dele. Pelo menos naquela noite chuvosa e sem grandes esperanças. Mas tinha medo da compulsão. De querer ele sempre e sempre e pra sempre. E amanhã e depois. E de dia, e tarde, de madrugada. E não saber digerir tanto amor e tanto amor acabar lhe fazendo mal. Só mais um pouquinho, pensou. Uma lasquinha. Pra dormir feliz. Amanhã era amanhã. Depois ela resolvia.

Tati Bernardi.    

(Source: decifro)

10 59 PM
19,860 notes
R